segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Rocky Balboa

(Rocky Balboa, EUA, 2006)



Menos competição, mais coração. Menos uma seqüência, que daria origem a outras seqüências, mais uma despedida. E das mais dignas. Repete-se o esforço de superação de Rocky Balboa do primeiro filme, todo o treinamento, incluindo a famosa subida da escadaria diante do Museu da Filadélfia ao som de “Gonna Fly Now”. Mas o clima é outro, mais soturno, pleno de melancolia. Rocky (Sylvester Stallone), viúvo, solitário, vive do passado, exposto nas paredes do seu restaurante italiano, que leva o nome de sua mulher, e nas histórias que conta a seus clientes, a cada noite. Visita também antigos lugares, todos decadentes. Recebe ainda pouca atenção de seu filho adulto. Mas é determinado e quer voltar a lutar, pois não vê alternativa. Primeiro, pensa em pequenos confrontos locais; depois, quando consegue sua licença, surge a grande chance numa luta-exibição em Las Vegas com o jovem e arrogante astro peso-pesado Mason Dixon (Antonio Tarver). Aí, o que era cinema e dos bons, pleno de nostalgia, ganha cara de espetáculo televisivo, até na textura das imagens, de transmissão de boxe ao vivo, que pouco acrescenta ao que já foi mostrado (melhor) nos outros filmes da série. Isso empobrece um pouco o clímax da luta, que se esperava mais épico. Ainda assim, filme no todo bem levado por Stallone e seu carisma, em que é difícil não torcer mais uma vez por Rocky (e por Stallone, também) e sua capacidade de se reerguer diante das pancadas do boxe e da vida, resistindo a elas até o final, pois boxe nada mais é, em essência, que um esporte de resistência, onde mais se apanha que se bate. O importante, no fim das contas, é sempre se manter de pé. E isso Stallone mostra como ninguém, honrando seu personagem mais conhecido, com o qual freqüentemente se confunde, na melhor de todas as continuações do vencedor do Oscar de melhor filme de 1976.

5 comentários:

Adilson disse...

Preciso ver logo... meu ídolo!!! hehe
Pelo seus comentários, me entusiasmei ainda mais.

Lorde David disse...

É, e aproveita que você vai de graça, hehehe.

Ailton disse...

Belo texto, David. Pelo visto vc também se decepcionou com a luta final.

Lorde David disse...

Ailton, me decepcionei um pouco com a luta, sim, mas não com o filme, que termina muito bem.

Renata Maria disse...

David, será que terei paciência de ver algum dia os filmes do Rocky? Sei que a essência é mais que a luta, mas até hoje não consegui assistir.
Outros estilos que não me agradam: Faroeste e filmes de guerra. Vai saber...prefiro água com açúcar e os chamados comerciais (x-Men, Superman, etc.)Beijinhos da Rê