quinta-feira, setembro 13, 2007

Eu os Declaro Marido e... Larry!

(I Now Pronounce You Chuck and Larry, EUA, 2007)



Incorreção política na primeira parte, mexendo com estereótipos e com a conhecida piadinha do sabonete caindo no piso do vestiário masculino em meio a um bando de machões despidos, aqui representada por um fortão Ving Rhames pra lá de desmunhecado, na estórinha farsesca de dois bombeiros nova-iorquinos, amigos de longa data. Um viúvo e pai de dois filhos, Larry (Kevin James); outro solteirão, misógino e mulherengo, Chuck (Adam Sandler). Como favor a Larry, que salvou-lhe a vida num incêndio, Chuck aceita trocar alianças com ele no cor-de-rosa Canadá para que Larry possa transferir para o outro, agora o seu parceiro legal, os benefícios do seguro de vida, o que garantirá, sob a s leis de Nova Iorque, alguma segurança para os filhos, caso morra na arriscada profissão. Era mais fácil se casar com outra lady novamente. Ou não, já que a mulherada de hoje em dia anda se fazendo de difícil. Mesmo assim, o fato é que esse casamento gay é uma fraude daquelas, o que forçará os dois machões a viverem sob o mesmo teto e a fingirem um novo modo de vida conjugal, a fim de não levantar maiores suspeitas na rígida administração da cidade de Nova Iorque, trazendo as conhecidas complicações de uma vida a dois. Uma advogada (Jessica Biel), defensora da causa gay, confiando na duvidosa honestidade de ambos, os assessora. E se deixa, claro, seduzir por Chuck. Então, na segunda parte dá-lhe correção política, com direito ao velho discurso de aceitação e aplausos dos colegas no tribunal, tudo bem antiquado, como nos tempos em que o “sr. Smith foi para Washington”. No meio disso, o humor, “machochô”, fica desequilibrado, neste filme um tanto longo de Dennis Dugan (O Pestinha, O Paizão, O Caquinha, O Merdinha...), apesar da simpatia de Kevin James, Sandler e da gostosíssima Jessica Biel. Mas, se não dá para matar de rir, coisa cada vez mais rara nas comédias americanas atuais, também não aborrece. Há, de fato, algumas piadas boas e uma tiradinha ótima, a cargo de Kevin James, quando os dois vão para a capela no Canadá se casar e prescindem da cerimônia religiosa, pois, além de mais cara, Larry é católico e “não quer ofender o Mel Gibson”, e boas participações de Dan Aykroyd, Steve Buscemi e de um embalsamado Richard Chamberlain, num roteiro que ainda contou com a assinatura do oscarizado Alexander Payne (Eleição, Sideways), vejam só. Mesmo assim, é muito prestígio para pouca graça.



Jessica Biel: um colírio!

4 comentários:

Vebis jr disse...

Se não me engano tem um trecho que tenho de uma entrevista do loiro do Fast and Furious em que trampou com a Biel e ele assume que em nenhum momento conseguia parar de olhar para aquela bunda...nas minhas postagens antigas tem o texto!

Mas o motivo de vir aqui é dizer:

Seja bem vindo a Liga dos Blogues!

Lorde David disse...

Vou procurar. Eu assisti aquele filminho Stealth com ela e não conseguia parar de pensar na cena dela com aquele biquini. Para mim, foi a melhor cena do filme e nem precisou de efeitos especiais, hehehe. E muito obrigado pela votação. Fico muito contente com o reconhecimento e apreciação de todos que me elegeram. Um grande abraço.

Ailton disse...

E no remake de O MASSACRE DA SERRA ELÉTRICA, ela com aquela calça justa e blusinha apertada fazia a gente esquecer do Leatherface.. heeheh

Lorde David disse...

Que Leatherface mesmo? Hehehe.