terça-feira, junho 19, 2007

Depois do Casamento

(Efter Brylluppet/After the Wedding, Dinamarca/Reino Unido/Suécia, 2006)



Uma câmera na mão, sempre próxima ao rosto dos atores, com poucos planos mais abertos, que revelam apenas o essencial e que lembra o estilo de filmar do Dogma, por uma diretora inclusive egressa do movimento. Também as locações autênticas na “rica” Índia, com pobres cheios de vida, e na “pobre” Dinamarca, cheia de ricos emocionalmente miseráveis, interpretações naturalistas, som ambiente, contando até com a ambientação num casamento, como em Festa de Família (Festen, 1998), de Thomas Winterberg, reencontro com o passado e muito da seiva do melodrama na história de um homem que administra a duras penas um orfanato na Índia e que vai a Copenhague para arrumar dinheiro para manter a instituição funcionando. Lá, ao entrar em contato com o possível doador, é convidado para o casamento da filha dele, onde descobre que o milionário filantropo é na verdade marido de uma antiga paixão sua. E descobre também que a noiva é na verdade a sua filha. E que o patriarca está morrendo de câncer. E que o dinheiro dele não servirá apenas para o orfanato, além de outras surpresas. Tudo revelado por meio de olhares, concentrando o drama, o grande mérito deste filme de Susanne Bier (Brothers, 2004), que conta ainda com um excelente elenco, encabeçado por Mads Mikkelsen (Meu Quer se Matar, 2002, e Cassino Royale, 2006), como o suposto idealista em confronto com o passado e obrigado a ceder a ele.

2 comentários:

Ailton disse...

Perdi um pouco o entusiasmo pelos filmes dinamarqueses e pelo movimento Dogma. Mas parece que esse filme é bem legal.

Lorde David disse...

É um bom filme, sim. Tinha gostado do anterior dela, Brothers. Este, com mis-en-scène mais limpa e mais bem acabado, renova o melodrama, sem fazer dramalhão.